sexta-feira, 2 de maio de 2008

Sophia de Mello Breyner Andresen


As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só para mim.

4 comentários:

Pedro Branco disse...

Sophia é única. No dia em que conseguir um único verso que consiga ficar bem junto dos dela, poderei morrer em paz...

Oliver Pickwick disse...

Canções do mar para corações puros.
Bonitos versos.
Um beijo!

ZezinhoMota disse...

Bezeza têm as palavras e mais de quem as sabe mover para o lado belo.

Escolha perfeita!

Bom domingo.

Bjnhs

ZezinhoMota

Débora Linden Hübner disse...

Oi Fátima!

Nossa, que lindo esse poema, ótima escolha para postar.
Sempre que puder, vou lhe visitar :-)

Um beijo!
Débi