sábado, 11 de outubro de 2008

Álvaro de Campos

Acordar da cidade de Lisboa, mais tarde do que as outras,
Acordar da Rua do Ouro,
Acordar do Rossio, às portas dos cafés,
Acordar
E no meio de tudo a gare, que nunca dorme,
Como um coração que tem que pulsar através da vigília e do sono.

Toda a manhã que raia, raia sempre no mesmo lugar,
Não há manhãs sobre cidades, ou manhãs sobre o campo.
À hora em que o dia raia, em que a luz estremece a erguer-se
Todos os lugares são o mesmo lugar, todas as terras são a mesma,
E é eterna e de todos os lugares a frescura que sobe por tudo.

Uma espiritualidade feita com a nossa própria carne,
Um alívio de viver de que o nosso corpo partilha,
Um entusiasmo por o dia que vai vir, uma alegria por o que pode acontecer de bom.
São os sentimentos que nascem de estar olhando para a madrugada,
Seja ela a leve senhora dos cumes dos montes,
Seja ela a invasora lenta das ruas das cidades que vão leste-oeste.
Seja.

A mulher que chora baixinho
Entre o ruído da multidão em vivas...
O vendedor de ruas, que tem um pregão esquisito,
Cheio de individualidade para quem repara...
O arcanjo isolado, escultura numa catedral,
Siringe fugindo aos braços estendidos de Pã,
Tudo isto tende para o mesmo centro,
Busca encontrar-se e fundir-se
Na minha alma.

Eu adoro todas as coisas
E o meu coração é um albergue aberto toda a noite.
Tenho pela vida um interesse ávido
Que busca compreendê-la sentindo-a muito.
Amo tudo, animo tudo, empresto humanidade a tudo,
Aos homens e às pedras, às almas e às máquinas,
Para aumentar com isso a minha personalidade.

Pertenço a tudo para pertencer cada vez mais a mim próprio
E a minha ambição era trazer o universo ao colo
Como uma criança a quem a ama beija.
Eu amo todas as coisas, umas mais do que as outras,
Não nenhuma mais do que outra, mas sempre mais as que estou vendo
Do que as que vi ou verei.
Nada para mim é tão belo como o movimento e as sensações.
A vida é uma grande feira e tudo são barracas e saltimbancos.
Penso nisto, enterneço-me mas não sossego nunca.

Dá-me lírios, lírios,
E rosas também.
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também,
Crisântemos, dálias,
Violetas, e os girassóis
Acima de todas as flores...

Deita-me às mancheias,
Por cima da alma,
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...

Meu coração chora
Na sombra dos parques,
Não tem quem o console
Verdadeiramente,

Excepto a própria sombra dos parques
Entrando-me na alma,
Através do pranto.
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...

Minha dor é velha
Como um frasco de essência cheio de pó.
Minha dor é inútil
Como uma gaiola numa terra onde não há aves,
E minha dor é silenciosa e triste
Como a parte da praia onde o mar não chega.
Chego às janelas
Dos palácios arruinados
E cismo de dentro para fora
Para me consolar do presente.
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...

Mas por mais rosas e lírios que me dês,
Eu nunca acharei que a vida é bastante.
Faltar-me-á sempre qualquer coisa,
Sobrar-me-á sempre de que desejar,
Como um palco deserto.

Por isso, não te importes com o que penso,
E muito embora o que eu te peça
Te pareça que não quer dizer nada,
Minha pobre criança tísica,
Dá-me das tuas rosas e dos teus lírios,
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...

Álvaro de Campos

29 comentários:

Silent Raven disse...

Olá! Há já algum tempo que não passava por aqui, mas finalmente consegui voltar e ler mais algumas das suas palavras maravilhosas.
E este poema de Álvaro de Campos é uma referência fantástica.

Até breve...

ZezinhoMota disse...

Bela escolha!

Tenho dois livros de poesia do Álvaro de Campos...

Andamos ausentes, mas a nossa amizade não morre por aqui...

Então como vais?

Fica bem...

Boa semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

C Valente disse...

Fernando Pessoa é sempre Fernando Pessoa
Saudações amigas e boa semana

Nilson Barcelli disse...

Sou fã do Fernando Pessoa, seja ele Álvaro de Campos, Alberto Caeiro ou Ricardo Reis.
Fizeste uma excelente escolha, por isso e no meu ponto de vista.
Tens o meu link... eu também tenho teu...
Beijinhos.

Vieira Calado disse...

Lírios e rosas...
Por acaso utilizei as duas palavras, muito recentemente no blog.
Mas confesso que estou inocente.
Não foi cópia.
Veio-me à cabeça...
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fátima
Álvaro Campos é o eng. em conflito entre o sentir e a razão e sem dúvida um dos heterónimos mais bem conseguidos de Pessoa.
Este poema é simplesmente extarordinário de beleza e insatisfação de vida que se quer viver vivida e sentida até à exaustão.
Excelente trazê-lo aqui.

Beijos

Oliver Pickwick disse...

Conheço muito pouco da obra deste autor. Mas esta poesia, hein? Ele quase que esgota todos os assuntos.
Bom saber que está de volta.
Um beijo!

Menina do Rio disse...

Não vou justificar minha ausência, mesmo pq não caberia.
Adoraria ter estado por aqui, mesmo pq meu blog fez dois anos e eu nem estava aqui pra comemorar.
Quero apenas deixar meu pedido de desculpas, agradecer pelas visitas, pelo carinho, por tantos comentários e pela preocupação.
Mesmo que eu quisesse e me desdobrasse, não daria para fazer isso individualmente e terá que ser aos poucos.
Hoje quero apenas deixar um beijo e dizer que vou lendo-vos na medida do possivel.
Mil desculpas.
Estou de volta!
Um beijo imenso!

Menina do Rio disse...

Não vou justificar minha ausência, mesmo pq não caberia.
Adoraria ter estado por aqui, mesmo pq meu blog fez dois anos e eu nem estava aqui pra comemorar.
Quero apenas deixar meu pedido de desculpas, agradecer pelas visitas, pelo carinho, por tantos comentários e pela preocupação.
Mesmo que eu quisesse e me desdobrasse, não daria para fazer isso individualmente e terá que ser aos poucos.
Hoje quero apenas deixar um beijo e dizer que vou lendo-vos na medida do possivel.
Mil desculpas.
Estou de volta!
Um beijo imenso!

O Profeta disse...

Alvaro de Campos um dos meus preferidos...boa escolha...


Doce beijo

JOY disse...

Olá Fátima


Passei para te lêr e cumprimentar, não sou grande conhecedor da obra de Alvaro Campos, mas gostei de ter lido este poema,

Beijo para ti
Joy

C Valente disse...

passei e deixo saudações amigas

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fátima
Estás bem, amiga?

Deixo-te um abraço

Gui disse...

Sabe sempre bem ler Fernando Pessoa, embora nem sempre essa leitura seja optimista e encorajadora. Mas é linda. Um beijo.

Blueshell disse...

Fernando Pessoa e seu Heterónimo...sempre um prazer reler!
Bj
BShell

Nilson Barcelli disse...

Bom fim de semana.
Beijinhos.

marias disse...

Olá Fátima, Amiga, tinha saudades tuas!...Também tenho andado afastada, tenho pouco tempo para a blogosfera, por vários motivos, mas hoje não resisti e vim até aqui visitar-te e gostei de reler Fernando Pessoa, que sempre é um deleite seja em que heterónimo for.
"Eu adoro as coisas
E o meu coração é um albergue aberto a toda a noite.
tenho pela vida um interesse ávido
Que busca compreendê-la sentindo-a muito
Amo tudo, animo tudo, empresto humanidade a tudo,
Aos homens e às pedras, ás almas e às máquinas,
Para aumentar com isso a minha personalidae."

...pena é que nem todos entendam isto e que ás vezes nos sintamos como tantas vezes se sentiu Fernando Pessoa!...

Beijinhos....espero que estejas bem, que é o Bem que te desejo, sempre!...

túlio hostílio disse...

A ameaça de atentados terroristas perpetrados numa grande cidade com recurso a armas nucleares ou biológicas está a aumentar, particularmente nos EUA, segundo um relatório de uma comissão do Congresso norte-americano.
E você o que pensa deste assunto?

JOY disse...

Olá Fátima,

Que é feito de ti ?

Fica Bem
Joy

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fátima

Venho desejar-te um Feliz Natal e Próspero Ano Novo pleno de alegrias e realizações pessoais.
Mesmo que pareça ironia em tempo de crise exprimir tal desiderato, eu acredito que há sempre uma nesga de céu para ser desfrutado.

Abraço

manzas disse...

"A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma bênção de Deus".

" UM FELIZ ANO DE 2009 "

Gui disse...

Vim reler boa poesia e deixar um beijo e os votos de um fantástico 2009.

C Valente disse...

Saudações amigas e bom ano

Lyra disse...

Belissima escolha!

Desejo-te um execelente 2009 literalmente cheio de TUDO de bom.

Beijinhos e até breve.

;O)

Lyra

Mustafa Şenalp disse...

Çok güzel site. :)

MADRUGADA... disse...

Gostei muito.

marias disse...

Amiga!
Que é feito de ti?
Espero que esteja tudo bem!

Bjs

C Valente disse...

saudações amigas

Brasil Poesias ADMIN Plus disse...

Lindo, lindo, lindo...

Extraordinário, extraordinário, extraordinário...

Álvaro de Campos
dos Mares e das Montanhas...

Rosas, Lírios e Girassóis
e todas as flores...

Fátima Raposo, AzulSakura e Mar Azul...

Podemos ficar, Fátima, sentindo os paladares de todos os perfumes...

Ouvindo os sons de todas as cores...

Olhando as passagens de todos os nossos amores...

E fazer rimas, Fátima, com todas as dores de nossos viveres...

Porque este é o dom dos poetas: brincar com a sua dor!

Beijo.

Lustato